Apesar de não ser encontrada nas prateleiras de uma farmácia, a corrida pode ser considerada um importante remédio. Quando bem orientada e iniciada após a obtenção do aval médico, a prática do esporte é responsável por reunir uma série de benefícios tanto para o corpo quanto para a mente. “Quando praticada sem exagero, a corrida induz adaptações em longo prazo no corpo, incluindo efeitos musculares, metabólicos, cardiovasculares e respiratórios, todos muito benéficos”, avalia a endocrinologista Adriana Pessôa. A seguir, leia a bula desse medicamento e entenda as suas principais propriedades para a saúde e o bem-estar femininos.

Questão de saúde

Quando o assunto é a saúde das mulheres, a corrida pode contribuir de diferentes modos, como na redução do risco de desenvolvimento de um câncer. É o que comprova um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos, o qual concluiu que as mulheres que praticam mais horas de atividades físicas têm um risco cerca de 30% mais baixo de desenvolver o câncer de mama do que mulheres que não se exercitam com frequência. Resultado semelhante foi obtido por pesquisa do British Journal of Cancer, cuja constatação foi de que as pessoas mais ativas (com 5 ou 6 horas de caminhadas semanais) teriam 24% menos chances de desenvolver câncer de cólon do que as pessoas menos ativas (com até meia hora de caminhadas semanais).

Mas os benefícios não param por aí. Outro problema comum nas mulheres, a osteoporose, tem na corrida uma grande inimiga. Como uma das causas do problema pode ser a sarcopenia (fragilidade muscular causada pelo sedentarismo), manter o corpo em movimento auxilia na prevenção. Além disso, o impacto gerado pelas passadas age na renovação celular e na captação de cálcio para os ossos.

De bem com a balança

Para perder aqueles quilinhos extras, a corrida também se destaca como uma ótima pedida, desde que aliada a uma alimentação balanceada e condizente com as suas necessidades calóricas. Daí a importância de contar com o auxílio de um nutricionista. “Durante a corrida há maior liberação de hormônio natriurético cerebral, o qual regula a temperatura corporal e controla a lipólise, promovendo a quebra da gordura corporal”, explica a endocrinologista.

Outra mudança física promovida pelo esporte é a conquista de um corpo mais firme. “Além da redução da gordura corporal, as passadas também promovem a melhora do tônus muscular dos glúteos, coxas e panturrilhas”, destaca o médico do esporte Jomar Souza.

Já para a conquista de uma barriga sequinha e definida, a treinadora de corrida Renata de Castro Gonçalves deixa a dica: “Para um abdome definido, é necessário um conjunto de ações, somando as passadas com um trabalho de fortalecimento muscular e com uma dieta equilibrada”. Segundo Renata, após três meses da prática da corrida já é possível perceber bons resultados. Porém, isso irá depender do empenho de cada pessoa e da frequência dos exercícios.

Sorrindo à toa

Mas correr está longe de ser um exercício apenas para o corpo. A mente também sai ganhando com a prática esportiva. De acordo com a psicóloga Miriam Barros, a corrida induz a produção da endorfina e da serotonina, hormônios responsáveis, entre outros aspectos, pelas sensações de prazer e bem-estar. De acordo com a especialista, o esporte também desenvolve a autossuperação e contribui para o aumento da autoestima. “A corrida é um antidepressivo natural e, se praticada ao ar livre, pode trazer ainda mais benefícios nesse sentido, pois já foi constatado que a falta de vitamina D produzida com a exposição solar está relacionada ao aumento dos sintomas depressivos”, explica.

Para as ansiosas de plantão, as passadas também têm seus efeitos. “Isso porque os hormônios liberados durante a sua prática geram uma melhora nos sintomas de ansiedade”, orienta Miriam. Com o objetivo de comprovar essa relação, o departamento de exercício da Universidade da Geórgia induziu a ansiedade em um grupo de atletas por meio do consumo de pílulas de cafeína. Então, foram comparados os sintomas fisiológicos e o humor em duas situações: após descansar ou se exercitar por uma hora. A prática do exercício físico (neste caso, em uma bicicleta ergométrica) foi três vezes mais efetiva na redução da ansiedade do que o descanso.

As três letras que assombram (quase) toda mulher também podem ser beneficiadas com a corrida. “A atividade é uma ótima ajuda para combater o mau humor típico da tensão pré-menstrual (TPM), uma vez que produz os hormônios do bem-estar”, ressalta a psicóloga Miriam. Uma pesquisa recente realizada pela Universidade de Connecticut (EUA) corrobora a especialista.
Os pesquisadores afirmam que a corrida é uma grande aliada da mulher no combate à TPM, pois melhora o equilíbrio hormonal e libera endorfina, o hormônio do bem-estar citado por Miriam. Além disso, o exercício melhora a circulação sanguínea e ajuda na eliminação do inchaço provocado pela progesterona, efeito tão temido pelas mulheres.

(Fontes Adriana Pessôa, especialista em metabologia pela Associação Médica Brasileira (AMB); Jomar Souza, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE); Miriam Barros, psicóloga clínica pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU); Renata de Castro Gonçalves, educadora física coordenadora do Grupo Cha)

(conteúdo publicado na revista O2 Por Minuto de maio de 2014)

Acesse o link do Portal O2porminuto: https://o2porminuto.ativo.com/corrida-de-rua/de-corpo-e-alma/