exercicio-na-gestação

Por Maíta Poli de Araujo

Com o aumento da participação do Médico do Esporte em diversas áreas da saúde, o exercício físico durante a gestação deixou de ser um “tabu” e alcançou o status de prescrição médica!

Toda gestante de baixo risco deve realizar exercício físico regular, sob a supervisão de um profissional da área de Educação Física, no mínimo 30 minutos por dia, o maior numero de dias da semana, e com uma intensidade moderada (tabela 1). Esta é a recomendação do Colégio Americano de Medicina Esportiva, que estabelece múltiplos benefícios para o binômio materno-fetal, quando são realizados no mínimo 150 minutos de exercício aeróbio por semana.

Os benefícios maternos incluem: melhora da função cardiovascular, controle do ganho de peso durante a gestação, diminuição do desconforto do sistema musculoesquelético, diminuição das caibras e edema dos membros inferiores, melhora do humor, redução da diabetes gestacional e doença hipertensiva, além de um preparo para o parto e puerpério. Dentre as principais vantagens para os fetos, destacam-se o efeito positivo no crescimento e desenvolvimento. Ademais, tem-se sugerido que os hábitos adotados durante a gestação podem afetar a saúde da mulher para o resto da vida!

Os esportes que apresentam risco durante a gestação são: esportes de contato ou colisão, com risco de queda, trauma abdominal, mergulho autônomo (scuba) e o esqui.

Os exercícios resistivos podem ser realizados durante a gravidez, sempre respeitando as mudanças anatômicas e fisiológicas especificas a idade gestacional. No inicio da gestação, quando o útero ainda está intra-pelvico, não existem muitas limitações ao desempenho. Com o passar das semanas, e meses, existe uma tendência ao aumento da frequência cardíaca e respiratória materna, aumento do debito cardíaco e mudança do centro de gravidade.  Estes fatores configuram a necessidade de adequação na biomecânica de muitos exercícios.

Por fim, a gestante deve reconhecer sinais e sintomas de alerta para a interrupção do exercício, tais como: sangramento vaginal, tontura, diminuição dos movimentos fetais e perda de liquido amniótico (tabela 2).

A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte ressalta que os objetivos do exercício físico na gestação são a manutenção da aptidão física e saúde e não a melhora do rendimento.

Bons treinos!

Artigos Similares